sábado, maio 25, 2013

Tenho 30 anos... A noite já não me dá pica... excepto se não tiveste vida social aos 20!

Facto curioso: Encontrei há uns tempos, o Salvador no Rádio-Hotel e grande parte do vídeo é gravada lá. OK. Ele diz mal do Urban, das Docas, Santos, Bairro, Cais do Sodré e Lux. O Rádio-Hotel não se enquadra ;)



Mas depois de ver o vídeo, lembrei-me doutro grupo de criaturas de 30 anos que não se identificarão com a música:

someecards.com - Some people must understand that being in their 30s doing stuff they should have done in their 20s is just sad...

domingo, maio 12, 2013

Porque é que as pessoas dizem tanto disparate enquanto esperam pelo avião? Nunca ouvi tanto disparate numa estação de metro nem à espera do autocarro...



Um voo pode ser uma verdadeiro ecossistema digno da National eographic

Existe um país na Europa que tem o mesmo fuso horário que nós. Chama-se Reino Unido. É verdade que não é quente, chove com frequência e não tem praias de água tépida. Mas é possível passar férias onde não há praia. O quê? Não sabiam? Sempre a aprender...
A semana passada regressei da Escócia e vim na TAP (pois claro!).
Nesse voo vinha um grupo de séniores (é como se chamam agora os velhos porque parece que é a expressão politicamente correcta).
Ora, estamos na sala de embarque, em Heathrow, e é feita uma chamada mais ou menos assim:
- We are now beginning boarding on flight TP...to Lisbon. Star Alliance Gold or Silver members may proceed...
- O que é isto? Só percebi Ouro e Prata - comenta uma das idosas para outra.
- Ah. Isto é a chamada para as pessoas que têm valores a declarar. - responde a outra. E pronto, foi muito doloroso evitar as gargalhadas porque a autora deste brilhante raciocínio estava sentada atrás de mim.
Antes disto, quando estava a fazer o check-in, reparei (porque era impossível ignorar tanto espalhafato) numa criatura estridente e afectada que eu começo a acreditar ser tão típica como o lince da Malcata. Só é pena não ser ela a estar em vias de extinção.
Este especimen, vulgarmente conhecido como "tiazorra" é muito típico da Lusitânia. Apesar de haver criaturas igualmente afectadas espalhadas pelo Mundo fora, esta sub-espécie é particular. Fala como se tivesse uma mola no nariz, trata as crias por você e faz questão que todo o mundo oiça o que tem para dizer. Por isso mesmo, assim que sentou o rabo no seu assento, todo o avião teve direito a escutar comentários pertinentes sobre a vida da não sei quantas que foi não sei onde com o não sei quem fazer não sei bem o quê. Esta conversa foi travada com outra criatura idêntica mas menos conversadora. Foi tão agradável que o passageiro que teve o azar de se sentar ao lado do animal, teve de se mudar.
Já não bastava sermos pobres, ainda somos o habitat duma sub-espécie cujas características mais evidentes são a falta de educação e de civismo. Os britânicos têm hooligans e nós temos "tiazorras".