sábado, junho 29, 2013

As mães que tratam os filhos por você

Hoje, na praia, uma criatura pequena (vulgarmente denominada de criança) levava uma prancha de body board na cabeça (é um sítio tão bom como qualquer outro para transportar uma prancha) e mal conseguia andar porque o vento teimava em empurrá-la para trás.
À frente, uma outra criatura com idade para ter juízo, olhava para trás e berrava "Venha, venha!" Hesitei e olhei para trás para tentar perceber a quem se dirigia a ordem gritada à boa maneira troglodita. Depois de olhar à volta percebi que só lá estava a criança e comentei "Se calhar ele não vem, porque acha que a mãe está a gritar para qualquer outra pessoa mais velha. Se tratasse a criança por tu, talvez ele percebesse que a ordem era para ele..."
E isto relembrou-me um outro episódio muito divertido no Corte Inglés. Um lindo dia, aí há uns tempos, aproximei-me do elevador. Já lá estava uma mãe com uma bebé. Só as duas, sózinhas. E por bebé refiro-me a um ser humano com menos de 2 anos de idade. A menina já andava mas com a motricidade típica da idade. Quando me aproximo, oiço a mão dizer à bebé: Estás tão gira! Pareces uma minhota!" Não sei qual era a característica da bebé que a assemelharia a uma natural do Minho mas certamente haveria uma lógica da batata que justificasse a comparação.
Entretanto, chegaram mais pessoas que esperavam o elevador e, quando finalmente entrámos dentro do ascensor, onde também já estavam outras pessoas que tinham entrado noutros piso (sim, este é um elevador normal, daqueles que sobem e descem e onde as pessoas vão entrando em diferentes pisos), a mãe da menina começa a tratá-la por você "Saia no próximo, está bem?", "Já chegámos. Venha com a mãe.".
Não admira que os miúdos depois não obedeçam aos progenitores. Em casa são tratados por tu mas em público há um bicho que morde às mãezinhas e começam a tratar as crianças como se estivessem a conversar com a avó. Os putos não percebem.... eles não obedecem porque não sabem que as mãezinhas estão a falar com eles e não com a empregada do café ou a funcionária da loja.

someecards.com - Ouça, não sei como é que ficou tão mal-educado mas eu, como sua mãe, não tenho que aturar a sua falta de educação.

sábado, junho 22, 2013

Passar dos 30 sem filhos

Assim que nos aproximamos dos 30 anos, começamos a ser pressionados para termos filhos. Quando passamos dos 30, começam a relembrar-nos do prazo de validade dos nossos órgãos reprodutores.
Se optamos por não termos filhos, somos egoístas. Se temos filhos sem os desejarmos, as criancinhas ficam traumatizadas para o resto da vida. Mas não faz mal porque cumprimos a nossa obrigação social de procriarmos na altura em que a sociedade espera que o façamos. Ou seja, é mais importante criarmos sociopatas do que sermos honestos e coerentes.
A sociedade deseja que sejamos hipócritas, mas depois reclama dos resultados dessa hipocrisia. E pior, culpa-nos pelos resultados da atitude que tivemos como consequência da pressão que a sociedade impôs. É como tirar a carta. Toda a gente espera que o façamos por volta dos 18 anos mas depois reclamam que os jovens são perigosos e irresponsáveis ao volante. No entanto, se alguém chegar aos 30 sem carta de condução leva o rótulo de preguiçoso. Mas, se começar a conduzir aos 30, provavelmente vai ser mais responsável que um miúdo de 18 anos...
Eu tenho um amigo que foi pai há 2 anos. Durante as últimas férias de Verão aconselhou-nos a nunca termos filhos porque (e cito) "Depois de teres filhos, a tua vida acaba!". A verdade é que ele foi vítima da pressão da sociedade e cedeu. Neste momento, é uma pessoa mais infeliz. A família dele culpou imediatamente a mulher dele que o pressionou para terem crias antes dele estar preparado. E quem é que pressionou a mulher dele para ser mãe rapidamente "antes que passasse o tempo"?
Tenho outra amiga precisamente da mesma idade que tem um namorado, com quem vive, e uma vida estável. Cada vez que lhe perguntam quando é que terá filhos, ela responde: "Já estamos a tentar há tanto tempo... Mas não conseguimos..." E arruma o assunto desta forma.
Concluindo, no tema da reprodução, é melhor ser doente do que ser honesto. É comovente, esta infinita benevolência da sociedade!

someecards.com - Every time I spend some time with a 5 years old, I postpone my decision to have children. I think I'll have kids in my mid 70s.


segunda-feira, junho 17, 2013

Alerta caril na massa

Em Lisboa há uma série de restaurantes que juntam comida indiana e comida italiana.
Também há restaurantes italianos geridos por indianos como é o caso do Piccolo Napoli. E se não quiserem apanhar Garam Masala no Penne all'Arrabbiata, vão a um restaurante italiano a sério...

someecards.com - If you don't like spicy food, keep away from restaurants owned by Indians... yes, even if it's an Italian restaurant!

domingo, junho 02, 2013

A pizzaria do Avillez, os meninos do anúncio do Bimbo e os paquidermes

Esta semana fui à Pizzaria Lisboa. Estava com curiosidade de provar pizzas inventadas pelo José Avillez.
A ementa tem imensas pizzas diferentes com combinações de ingredientes para todos os gostos. E isto não é uma particularidade desta pizzaria. Quase todas as pizzarias têm uma lista enorme e o que custa é decidir de qual gostamos mais. Abrir a lista no Lucca é quase um acto de sado-masoquismo. Mas isso sou eu que vou a pizzarias porque, sei lá, gosto de pizza...
Mas há muito tempo que assisto a um episódio recorrente em pizzarias que me ultrapassa. Apesar desta variedade de escolha, há quem teime em fazer a sua própria pizza ou alterar os ingredientes duma pizza que vem na ementa. E a única razão que me ocorre para as pessoas fazerem isto é serem extremamente mete-nojo. Picuinhas, mesmo. Lembram-se do anúncio do Bimbo sem côdea? Essas pessoas lembram-me o puto do anúncio que não comia peixe por ter espinhas e outras esquisitices do género.
Acham mesmo que o chef que fez a ementa achou que os cogumelos da pizza Funghi eram opcionais? Ou que se podia prescindir da malagueta na pizza picante porque há alguém que gosta imenso dos ingredientes da pizza mas não gosta de comida picante? Se eu fosse chef diria a estas criaturas que, se querem fazer a própria pizza, fiquem em casa e liguem para a Telepizza.
Mas isto aconteceu na pizzaria do Avillez, aquele rapaz que chega a saber o que faz e até ganha uma estrela Michelin de vez em quando... Há quem peça uma pizza Caravela (tomate, mozzarella, alho, camarão, malagueta e manjericão) sem tomate... ou sem malagueta... E confesso que tenho alguma esperança de um dia ouvir alguém dizer que quer pizza sem massa porque não gosta de pão.
Ora, se vão à Pizzaria do Avillez porque ele é bom cozinheiro, porque é que adulteram as combinações que o homem fez? Se não gostam dos ingredientes todos duma pizza, peçam outra! Se não gostam de tomate e o restaurante não faz pizzas brancas, peçam um risotto...

someecards.com - I love this pizza. Can I have it without tomato? Oh, and I don't like cheese either so I'll have it with no tomato and no mozzarella.

Outra coisa que me dá comichões quando vou a um restaurante é aturar empregados arrogantes. Aqueles que nos respondem como se lhes devêssemos alguma coisa. É verdade que lhes devo a conta que só vou pagar no fim do jantar, mas se nos vão tratar como caloteiros durante a refeição toda, sei lá, optem pelo pré-pagamento!
É que ser empregado de mesa e ser arrogante são duas coisas incompatíveis. Se alguém tem uma profissão que consiste em servir à mesa, como é que pode ser arrogante? Não faz sentido... É o mesmo que gramar com um mecânico petulante só porque trabalha na Mercedes. A diferença é que nunca vi um mecânico arrogante. Deve ser das nódoas de óleo no macacão. Não dão hipótese de manter o nariz empinado durante muito tempo...
Eu já tinha ido ao Cantinho do Avillez e achei que o serviço tinha sido impecável. Mas este pessoal da Pizzaria Lisboa é particularmente desagradável e ostentam das maiores trombas que já vi. Quando quiserem ver elefantes e o tempo não estiver propício a visitas ao Zoo, podem sempre ir ao Chiado comer pizzas com nomes de bairros lisboetas. Se pedirem uma pizza conforme ela está no menu e não acharem que sabem mais do assunto que o Avillez, vão certamente gostar. Quanto a mim, vou continuar a ir ao Lucca... as pizzas são igualmente boas e não tem fauna paquidérmica...