domingo, agosto 25, 2013

O carro imaginário

Em Portugal há um fenómeno muito típico que se assemelha aos amigos imaginários das crianças. Trata-se do veículo imaginário.
Podem verificar comportamentos sociais diários que indicam a existência do veículo imaginário.
Já repararam que a grande maioria dos condutores circula na faixa do meio das auto-estradas? Isso é porque estão a ultrapassar camiões imaginários. Principalmente na A1... Quando cheira a estrume e achamos que o ar condicionado está avariado... Não! É o camião imaginário que passa cheio de porcos.
E no meio da cidade? Já repararam na quantidade de condutores que andam a 40 km/h na faixa da esquerda? É porque na faixa da direita estão veículos imaginários estacionados em 2ª fila.
Reparem bem e verão. O veículo imaginário é um fenómeno omnipresente que a nossa falta de imaginação nos oculta.

segunda-feira, agosto 19, 2013

A melhor parte da comida é a que ninguém come (pelo menos as pessoas mentalmente sãs)

Adoro o argumento "Não comes essa parte? Mas essa é a melhor parte."
Este argumento é válido tanto para a gordura da picanha como para o soro do queijo fresco. Sim, eu conheço uma pessoa que sorve o soro do quejo fresco antes de o comer porque "o soro é a melhor parte do queijo"... Eu questiono sempre a origem desta sapiência e a resposta normalmente é "li algures" ou "alguém me disse". E assim nascem estes mitos gastronómicos.
No dia em que alguém me responder que a melhor parte da banana é a casca porque protege o fruto e ainda serve de armadilha caso venhas a ser perseguido enquanto comes uma banana... aí eu acredito. Mas primeiro tenho de ver alguém a escorregar numa casca de banana porque tenho alguma desconfiança que isso também é um mito urbano...
E qual é a melhor parte do ananás? É o meio! Sim, aquela parte dura que a maioria dos energúmenos, nos quais me incluo sem qualquer presunção de me julgar mais que uma energúmena, rejeita. Será que a palavra energúmeno existe no feminino? E porque é que a parte dura do ananás é a melhor? Porque magoa alguém se usada como arma de arremesso? Não... Porque emagrece. Sim, foi esta a resposta que me deram quando questionei as propriedades benéficas do centro do ananás. "E como sabes isso?", perguntei eu na minha infinita ignorância. "Toda a gente sabe isso!", responderam-me. E pronto... se eu já me sentia ignorante, esta resposta vem confirmar.
E a melhor parte da maçã? É a casca... É onde se concentram as vitaminas. É totalmente inofensivo comer a polpa da maçã. Para tirarmos partido de todas as vitaminas desta fruta, devemos comer a casca e, quiçá, descartar a polpa...
E a melhor parte do tomate? São as sementes! O que para mim é uma chatice porque eu sou um bocadinho esquisitinha e confesso que tiro as sementes ao tomate. E há sempre alguém que larga esta pérola e eu sinto que estou a menosprezar as sementes do tomate e sinto-me culpada.
Pronto, não me lembro de mais nenhuma parte da comida que seja a melhor apesar de ninguém a comer.
Mas deixo aqui todo um novo mito para ver se pega:

someecards.com - Confia em mim! A melhor parte do abacate é o caroço. Tem imenso cálcio e evita a osteoporose. Deixa-o de molho e faz chá de caroço de abacate.

sábado, agosto 10, 2013

As novas dondocas ou a arte de ser economicamente dependente aparentando sucesso profissional

Ser dondoca com menos de 40 anos é uma arte. É depender economicamente do marido mas inventar uma ocupação que pareça uma carreira.
É que ser dona de casa hoje em dia já não é socialmente aceitável. Já não basta ser mãe e esposa. Convém ter uma profissão, quiçá, construir uma carreira.
É óbvio que os pais dos seus filhos não são uns funcionários de nível intermédio nem nada que se pareça. Têm de ser senhores bem pagos que possam sustentar toda a prole.
E porque ser dona de casa é antiquado, as mães a tempo inteiro têm ocupações muito específicas mas que não exigem agendas apertadas ou horários rígidos.
Elas são fotógrafas, pintoras ou escritoras... Compraram o equipamento mais caro no mercado, não fazem ideia o que é profundidade de campo ou abertura do diafragma, mas a máquina até faz tudo sózinha (isto é um problema transversal que não afecta só as dondocas e que está a começar a tornar-se uma praga). Além disso, têm uma grande amiga que até tem uma galeria de arte e não se importa nada de expor os trabalhos dum novo talento!
E, como não poderia deixar de ser, há sempre as Relações Públicas e as Personal Stylists. Todas estas ocupações dependem sempre de muita amiga e amigo disposto a pagar uma consulta à outra amiga mal amanhada ou a desembolsar para que a sobrinha tenha uma mega festa de anos.
Ou seja, quando conhecerem uma mãe com uma destas ocupações, saibam que estão perante a versão 4.2 da Dona de Casa, compatível com todo o hardware Apple ou qualquer outra marca que apareça no mercado e esteja ainda mais inflacionada.

someecards.com - Being a housewife is a full-time job. Dropping kids at school, shopping, telling the maid what to do, going to the hairdresser, catching up with friends...

E, para não estereotipar demasiado, aqui vai um artigo sobre Donas de Casa que não correspondem à minha descrição: http://activa.sapo.pt/vida/sociedade/2013/08/09/as-donas-de-casa-estao-de-volta.

sábado, agosto 03, 2013

Trabalhar alcoolizado pegou moda. O Tribunal da Relação do Porto lançou a nova tendência!

Empresa obrigada por Tribunal a readmitir funcionário alcoolizado vai recorrer - Lei Laboral - Jornal de Negócios

Esta notícia é de dia 1 de Agosto, o dia que pode vir a tornar-se o Dia Nacional do Trabalhador Bêbado. É que no mesmo dia em que esta notícia foi publicada, tive o jantar mais surreal de sempre e fui servida por um empregado embriagado e a tresandar a álcool. E não foi numa tasca qualquer. Foi num restaurante com um aspecto perfeitamente decente e comida civilizada.
Quando foi questionado se tinha vinho a copo, o sr. ébrio respondeu que só tinha o vinho da casa. Não era mau... mas era vinho da casa...
- E garrafas pequenas?
- Não... Só das normais. Mas porque é que não bebe uma das normais? Eu bebo sempre uma dessas!
Pois, disso não tínhamos dúvidas...
E como se toda a situação não fosse já suficientemente sinistra, eis que, a meio da nossa refeição, a criatura começa a tirar fotografias à senhora de meia idade que também estava a servir às mesas. Mas não eram umas fotos quaisquer... Eram fotos cheias de pose, daquelas que vão direitinhas para o Facebook. Só que no local de trabalho... em frente aos clientes... aos 50 anos (eu, com 30, já me enjoei dessas coisas mas a senhora vibrava)... tiradas por outro funcionário... bêbado. Só mais um pequeno pormenor: ao que parece, este belo par de jarras não eram meros funcionários... são os donos do estaminé! E estes meninos não deixam os seus créditos por mãos alheias. Se é para a desgraça, não precisam de nenhum empregado incumpridor. Eles próprios tratam do assunto!
No final, depois de rejeitarmos um digestivo, recebemos um pedido de desculpas. Por estares bêbado, pensamos nós. Mas não. O que ele lamentava era que a mesa ao nosso lado, a única que também estava ocupada, fosse tão barulhenta.
- Mas estamos num restaurante - respondi - é normal haver pessoas a conversar...
- É que, naquela mesa, está a minha mãe.
Pronto, tudo tranquilo. A mãe sabe que a sua cria trabalha alcoolizada e, mesmo assim, confia nas suas capacidades para levar os pratos à mesa e de volta à cozinha. Isto está ao mesmo nível que ser absolvido por um Tribunal da Relação.
Dia 1 de Agosto fica no calendário como o Dia Nacional em que todos deveríamos desempenhar as nossas obrigações profissionais sob o efeito duma quantidade de alcool considerável.