segunda-feira, setembro 30, 2013

Alvíssaras a quem encontrar a receita dos fígados da Taberna Ideal

Desde 6ª feira que sonho com fígados! Fígados de aves com balsâmico e maçã reineta! Oh obra-prima da culinária! Não os tiro da cabeça e a culpa é daquela Senhora amorosa que foi jurí do Top Chef: "Ou se adoram os fígados, ou se detestam." E eu apaixonei-me pelos fígados, quero trazê-los cá para casa e vivermos felizes para sempre.
Mas confesso que tenho dúvidas quanto à minha capacidade de me manter fiel aos fígados, por isso, para tentar esquecê-los, liguei para o Café Lisboa, o novo restaurante do José Avillez.
- Boa tarde. É possível fazer uma reserva para o jantar amanhã, para duas pessoas?
- Oh, minha Senhora, nós não fazemos reservas! É por ordem de chegada! - responde-me a funcionária num tom assim entre o impertinente e o enfadado.
E não é que a porcaria da minha bola de cristal está avariada novamente? Não me disse que o Café Lisboa não aceita reservas... Que audácia! Depois tenho de maçar estas criaturas e fazer perguntas parvas. Duh! É um restaurante... porque é que haveria de aceitar reservas ao jantar, burra?
Bem, 2-1, Avillez... Empregados trombudos na pizzaria, funcionária com falta de paciência no Café Lisboa e staff impecável no Cantinho. Mesmo assim, acho que ainda lhe vou dar a última oportunidade no Belcanto. Logo se vê se empata ou se consegue fazer o hat trick dos empregados mal seleccionados.
Resultado: O Café Lisboa perdeu a sua oportunidade e fiz reserva na Tasca da Esquina.

domingo, setembro 29, 2013

Será que os papás vão ralhar aos professores quando os meninos chumbarem a todas as cadeiras do 1º ano?

Esta notícia comprova que a geração que está agora a entrar na faculdade tem uma percentagem de estupidez francamente superior às anteriores:


E acho que os smartphones e as redes sociais não são as únicas razões pela quais estas criaturas não têm capacidade de se adaptar à realidade académica duma foma civilizada:

- Estas criaturas são crias duma geração que sem saber muito bem como, conseguiu entrar na faculdade e ter um nível de vida francamente superior ao dos seus progenitores que, na sua maioria, teriam pouco mais que a 4ª classe. Por isso, aquele reverência característica do provincianismo salazarento tuga, desapareceu. Ainda bem que despareceu porque chamar doutor ao menino assim que ele entra na faculdade, demonstra expectativas muito baixas, mas banalizar o ensino superior ao ponto de parecer o ensino obrigatório é demasiado mau!
- Estas criaturas nasceram em 1995, ano em que foram lançado dois filmes que neste momento, me parecem proféticos: Kids e Dangerous Minds. Só que em ambos os filmes, os mal-comportados não chegavam à faculdade, por isso, esta geração veio mostrar que aqueles bullies que todos julgavam condenados ao falhanço, já podem perpetuar os seus comportamentos imbecis no ensino superior, onde os nerds achavam que estariam finalmente a salvo.
- Muitas destas criaturas têm pais que foram dar ralhetes aos Professores do Secundário por darem uma nota inconveniente à cria burra que não sabia a ponta dum corno mas que tinha de entrar numa faculdade Pública à primeira (é que os paizinhos já tinham feito empréstimos para pagar a casa nos subúrbios, o apartamento na Praia da Rocha, o Audi e as férias no México).  Como é que esperam que estes animaizinhos tenham respeito aos Professores quando sempre ouviram os papás a insultá-los? Será que os progenitores agora também vão falar com os Srs. Professores Doutores que chumbarem os meninos que se embebedaram durante o primeiro semestre inteiro? Depois duma licenciatura de 5 anos, dum Mestrado de pelo menos 2 anos, dum doutoramento, de provas de agregação e de anos de investigação, os Professores Universitários têm de fazer trabalho de baby-sitter? Se calhar estão sobrequalificados...

Quando eu era caloira, em 2000, lembro-me dum episódio numa aula teórica. Era uma aula num anfiteatro e não éramos obrigados a frequentá-la. Já não me lembro bem que cadeira era, mas tenho a impressão que seria Química I ou Geoquímica do Ambiente. O Professor atira um pedaço de giz para o meio do anfiteatro e diz, em seguida:
- Peço desculpa. Não lhe queria acertar a si. Era para as duas colegas que estão atrás de si a conversar. Mas não se preocupe... Tenho muito mais pontaria com isto (e pega no apagador) e da próxima já não falho.
Há 13 anos atrás não tive oportunidade de assistir à pontaria do Professor com o apagador mas espero que o Sr. tenha incluído o tiro ao alvo nas suas actividades de investigação, senão prevejo que alguns inocentes fiquem com uns olhos negros...

sábado, setembro 21, 2013

Joana Miranda leva Lisboa a Nairobi

A Campanha para as autárquicas é sempre particularmente rica em disparate.
Além de todos os cartazes hilariantes espalhados por várias terriolas, temos também o melhor cartaz de Lisboa. E por melhor, entenda-se, com maior potencial de gozação. E esse cartaz pertence ao MRPP:

E deparar-me com este cartaz, hoje, foi pior ainda porque tinha acabado de ouvir esta notícia: Nairobi mall gunmen holding hostages: Gunmen who attacked an upmarket Nairobi shopping mall, killing several people, have taken at least seven hostages, police and security guards say.
A primeira coisa que me veio à cabeça foi que a Joana tinha levado Lisboa a Nairobi e estavam no centro comercial errado, à hora errada.
E esta teoria torna-se ainda mais credível quando olhamos para a fotografia psicopata da candidata.
Faz-me lembrar um episódio do "How I met your mother" em que o Ted conclui que o marido da Zoey tem um olhar psicopata mesmo quando sorri. Por isso, para provar a minha teoria, vou fazer o mesmo que o Ted:


Estes olhos dizem: Eu vou-te torturar até que espetes uma cruz no quadradinho ao lado da foice e do martelo do MRPP.
Mas não, reparem! Afinal ela está sorridente e vai perdoar-te se não optares pelo voto Maoísta:


Em suma, se o MRPP tiver o pior resultado de sempre nas autárquicas em Lisboa, já sabem a razão...

domingo, setembro 15, 2013

A rídicula xenofobia tuga

O Bloco de Esquerda retirou o seu apoio político a uma candidatura autárquica devido a comentários xenófobos dirigidos à etnia cigana.
Em Portugal, o racismo dirigido especificamente a ciganos é comum e, socialmente, não cria grande desconforto porque está generalizado. Quem ainda não viu uma foto duma família cigana a entrar num Audi após receber o subsídio nos correios? Esta foto vem acompanhada duma série de preconceitos, lugares-comuns e acusações demagógicas ao Estado Social por patrocinar o parasitismo da comunidade cigana. E até as pessoas que normalmente diriam que não são racistas, acabam a partilhar a foto.
Mas, ultimamente, tenho assistido a uma xenofobia muito específica dirigida a chineses. E essa xenofobia vem acompanhada daqueles mitos urbanos do género, não há chineses sepultados em Portugal, os chineses vivem nas lojas... e mais uns quantos que certamente desconheço. No entanto, o tuga continua a comprar muita coisa na loja do chinês... Se a loja do chinês não tivesse clientes, certamente já estaria fechada e o chinês já teria emigrado para outro país onde a sua loja desse lucro.
No final de contas, o que acho particuarmente irónico é que o tuga típico não hesita em pagar menos se o mecânico ou mesmo o médico lhe propuser um preço mais baixo sem factura... isto para mim, é uma grande ciganada... Tanto da parte de quem pretende fugir ao fisco ecomo da parte de quem colabora para pagar menos uns trocos.
E o que dizer dos chicos-espertos fura-filas? Foram os chineses que aprenderam connosco ou ainda levamos umas lições de falta de civismo vindas do Oriente? Acho que a resposta certa é que em ambas as sociedades há um número muito elevado de cidadãos com falta de educação e de civismo. A diferença é que 1 milhão de chicos-espertos em Portugal, corresponde a 10% da população mas se fossem só 1 mihão de chicos-espertos na China a furar filas, seria um país cheio de gente cumpridora...
Para não nos sentirmos broncos sózinhos, aqui vai a confirmação que a maioria dos Chineses é tão mal-educada como muitos Portugueses:

http://news.bbc.co.uk/2/hi/6351667.stm

Começo mesmo a achar que a xenofobia tuga não passa de medo da concorrência. Nunca vi um tuga preocupado com uma eventual invasão de suecos... As nossas ruas ficavam (ainda mais) cheias de gente gira, trabalhava-se menos horas mas com mais eficiência, começávamos todos a ser corteses e delicados... Mas vamos ser realistas... temos um clima porreiro e o pessoal até se suicida menos por cá... mas qual é o sueco que, na plenitude das suas faculdades mentais, quer viver rodeado de Portugueses? Até aposto que há países que já inventaram mitos urbanos em relação aos emigrantes tugas, do género... sabiam que os Portugueses são sepultados com o animal de estimação? Aquele senhor que vivia no T0 do 3º andar foi sepultado no mesmo sítio que o Grand Danois que vivia com ele...

segunda-feira, setembro 09, 2013

Autárquicas ao rubro nas redes sociais

Este fim-de-semana, "O Eixo do Mal" acabou com o hino da candidatura do candidado do PSD a Arco de Baúlhe. O vídeo foi feito pelas suas crias e sobrinhos:



Depois de ver o vídeo, acho que a primeira medida que o Sr. Custódio Oliveira vai tomar, caso seja Presidente da Junta, será abrir um centro de explicações de Português onde os filhos e sobrinhos estarão matriculados.

sábado, setembro 07, 2013

Drop the attitude!

Para mim, uma das melhor séries de comédia de sempre é "Absolutely Fabulous". Se calhar tem algumas cenas um bocado forçadas mas aquelas duas personagens têm frases brilhantes.
No outro dia, revia um episódio em que a Eddie diz isto:


"You only work in a shop you know, you can drop the attitude."

E na semana seguinte fui ao "100 maneiras" onde tive vontade de dizer algo muito parecido.
Já tinha comentado aqui que há certos empregados de mesa que ainda não perceberam que a sua função é servir à mesa... e já agora, ser simpático já que se trata de atender clientes. Para os que não sabem, os clientes são aquelas pessoas chatas que chegam a deixar gorjeta e a pagar-lhes o ordenado!
No "100 maneiras" os empregados de mesa são simpáticos. Cumprem devidamente a sua função. Quando chegámos, tiveram o bom senso de nos perguntar se falamos Português em vez de tentarem adivinhar. Visto que é um restaurante cheio de turistas, a pergunta faz todo o sentido. E, para mim, estes pormenores pequeninos também marcam a diferença entre um restaurante elegante e um restaurante pretensioso. Way to go, Ljubomir!
Mas quero debruçar-me sobre uma personagem que desempenha uma função que só existe nos melhores restaurantes: o escanção.
É verdade que estamos a falar dum profissional especializado cuja função, normalmente, não é apenas sugerir um vinho e servi-lo. Por norma, são eles que escolhem o que entra na adega e elaboram a carta de vinhos. Mas, ainda assim, trabalham num restaurante e estão a atender clientes, para todos os efeitos. E quando nos deparamos com uma personagem destas, cheia de atitude, a única coisa que me ocorre é:


You only work in a restaurant, you know, you can drop the attitude.

domingo, setembro 01, 2013

A tirana e o amuadinho

Cada vez que um homem arranja namorada nova ou leva a namorada e que ainda não se integrou no grupo de amigos, a uma festa ou qualquer outro tipo de evento, acaba por deixar bem claro que não pode ficar até ao fim por causa da respectiva.
Todos os machos que conheço fazem isto. Acabam sempre por deixar claro, de alguma forma, que, se estivessem sózinhos, passavam o dia, a tarde ou a noite toda com os amigos. Mas, quando a respectiva está presente e não se sente à vontade, as regras mudam... É o domínio da fêmea... a tirana!
Pelo contrário, as mulheres arranjam sempe uma forma de justificar uma saída precoce da festa. Às vezes, até é óbvio que o respectivo macho está cansado de ouvir conversa de fêmea... mas ela vai sempre encontrar uma justificação plausível e diplomática para sair antes das outras pessoas. A tirana é uma veradeira protectora... Defende sempre a vítima que tiraniza. Então se defende a vítima, se calhar não é bem uma tirana.
Nunca vi um leão dar banho a um antílope nem alimentá-lo antes de o caçar... Até faria sentido que o felino preferisse uma carne mais limpa e mais gorda porque seria mais nutritiva e eventualmente mais saborosa. Mas não.... no Reino dos animais irracionais isso não acontece.
Os homens conseguem sempre a proeza extraordinária de não serem o chato ou o "cortes". Mostrar que são bué divertidos alimenta a virilidade deles! As chatas são elas. As fêmeas são sempre picuinhas, enjoadinhas e aborrecidas... porque os machos as pintaram assim. Quando elas fizerem o mesmo e disserem às amigas "Oh Maria, adorei o jantar mas não podemos ficar porque amanhã temos coisas combinadas logo de manhã, estás a ver?", enquanto aponta para o macho só com os olhinhos para que não haja dúvidas de que a culpa é dele, aí certamente ficarão amuados. E talvez aí consigam perceber que não é muito viril, ser o amuadinho...