domingo, abril 27, 2014

25 de Abril - a fuçanga 40 anos depois

Para celebrar o 25 de Abril choveram cravos no Terreiro do Paço.
Não havia uma multidão mas a Praça do Comércio estava composta.
Assim que o helicóptero começou a lançar cravos e a multidão percebeu a direcção do vento, foi a corrida ao cravo! São cravos à gosma!
Tugas a atropelaram-se para apanharem mais flores. A celebração do 40º aniversário da Revolução ficou marcada pela fuçanguice. Era vê-los com molhos de cravos na mão, radiantes porque tinham conseguido atropelar o próximo e apanhar mais flores gratuitas.
- Para quê? - questionava-me eu que tenho a mania estúpida de tentar arranjar explicação para tudo. Ora, para quê? Raio de pergunta... Porque é à borla! Não interessa que sejam alérgicos a flores ou que aquilo morra num instante e acabe no caixote do lixo. Interessa que não tiveram de pagar nada e quem conseguir arrecadar mais borlas, é mais esperto que o próximo.
Porque estas pessoas são aquilo a que chama vulgarmente chico-esperto. São aqueles tugas que se gabam de fugir aos impostos, são os que fazem 50 km para ir ao supermercado que está com uma promoção de 10% em cartão e gastam mais dinheiro em gasolina do que o valor que pouparam na promoção, são os que aproveitam a promoção daquela viagem ao Brasil em Agosto que fica muito mais barata que a viagem da vizinha no Inverno passado... Basicamente, estes chico-espertos não pensam a longo prazo, não planeiam, não pesam os prós e os contras...
E depois? Depois a reforma é miserável porque declaravam o ordenado mínimo e o patrão pagava o resto por baixo da mesa. Depois o subsídio de desemprego é metade do ordenado porque a empresa era tão fixe que pagava um ordenado baixo mas inventava uma ajudas de custo impecáveis! Depois o carro só sai de casa no início do mês porque a dia 15 já não há dinheiro para a gasolina. Depois as férias foram uma porcaria porque no Brasil é Inverno em Agosto e mais valia ter ido para a Fonte da Telha que ficava bem mais barato.
O 25 de Abril foi há 40 anos mas ainda não conseguimos recuperar todo o atraso de décadas de ditadura e atraso civilizacional. As gerações de analfabetos que viviam em condições sub-humanas já tiveram netos nascidos com qualidade de vida, liberdade e educação, mas as mentalidades são sempre as últimas a mudar.
Enquanto estes tugas não perceberem que o "desenrasca" não é uma virtude, continuarão a dever muito ao civismo.
Desenrascar significa livrar-se de dificuldades com facilidade. Isso é bom... mas o que era mesmo óptimo era prever as dificuldades para as evitar e não ter de se desenrascar. A isso chama-se inteligência.

domingo, abril 20, 2014

Mas já não se pode gozar o fotógrafo amador que faz uns books assustadores a preços de amigo?

Esta semana abriu uma página no facebook chamada "Escrotos fotográficos". O nome é infeliz mas com 5000 likes nalgumas horas, o autor da página reconhecia que já era tarde para mudar.
A página reunia algumas fotos que estavam em páginas de pseudo-fotógrafos no Facebook .
Todas as fotos eram públicas e o autor da página fez questão de manter as fotos intactas com as assinaturas, marcas de água ou símbolos de copyright.
A especialidade destas fotos é que eram más. Mas hilariantes de más. De ir às lágrimas de tanto rir!
O autor acrescentava, na descrição da página, que as fotos publicadas não visavam gozar as modelos mas a má qualidade dos fotógrafos que tinham comprado uma máquina no OLX e pensavam que já eram profissionais.
Só para terem uma noção:



Este senhor não faz a mais pálida ideia do que anda a fazer mas esta foto, mesmo com esta edição bimba, é das menos divertidas. Toda a diversão está na página do facebook do sr. onde todas as fotos são públicas. Yay!
Os "Escrotos fotográficos" tiveram ainda o cuidado de publicarem uma foto duma jovem a pousar com um polvo. Porquê um polvo? Para imitar o Julian Murray? Há pessoal com uma auto-estima valente! Mas eu sou tão generosa, que até disponibilizo aqui a página.
Ora bem, o problema desta página foi o seu período de vida: inferior a 24 horas. Uma tristeza. Os comentários às fotos já eram tão divertidos com as próprias fotos.
Ah e tal, mas deve ter ferido a susceptibilidade de alguém que denunciou a página e kaput.
Então e o cyber bully? Ninguém pensa no cyber bully? E agora como é que vamos chorar a rir com o photoshop saloio que põe a foto duma criancinha com a boca aberta de onde sai essa mesma criancinha a descer um escorrega?
E a grávida com uma foto de fundo da sua prória barriga, de perfil, e com efeito espelho? Há lá coisa mais foleira?
Mas não... alguém tinha de denunciar a página e lá se foi a diversão.
Ninguém percebeu que o fundador desta página estava a fazer serviço público.
Estava a denunciar amadores incapazes, que nunca deveriam receber um tostão para tirar uma fotografia.
Desde que existe fotografia digital, estas aberrações não cessam de aparecer.
Tenho um exemplo duma noiva que contratou uns "fotógrafos" para lhe fazerem o casamento. Foram caros e tinham equpamento xpto por isso ela assumiu que eram fantásticos. Quando vi o resultado final, achei fantástico que não conseguissem fazer um enquadramento decente e que usassem uma objectiva olho de peixe para apanharem toda a gente numa fotografia de grupo. Mas... Tinham tantas lentes e foram tão caros que não podiam ser maus! E quem sou eu para contestar este argumento? Alguém que sabe tirar fotografias, querem ver?
Ora, como o público não tem conhecimentos suficientes para diferenciar o bom do fraquinho, é preciso deixarem o difícil trabalho de julgar a qualidade fotográfica dos wannabes para o resto da comunidade.
Enquanto impedirem a população de prestar este tipo de serviço público, continuarão a ser enganados e a fazerem figuras de ursos.

sábado, abril 12, 2014

Sou só eu ou a menina do "Prato do Dia" é mesmo irritante?

Todos os malucos têm a sua mania. Eu, confesso, tenho uma pequena obsessão com comida. Por isso, tenho a televisão no 24 kitchen com frequência.
Só quando começa o "Prato do dia" é que a minha mão procura, rapidamente e com alguma ansiedade, o comando da televisão. E aí, mudo de canal e tudo fica melhor.
Lembro-me de terem anunciado um casting, há para aí um ano. Percebi depois que o resultado do casting tinha sido esta Filipa Gomes. Eu até acredito que a rapariga seja uma pessoa adorável...mas não nasceu para apresentar rigorosamente nada!
Mas se formos ao Facebook do 24 kitchen, só leio comentários de espectadores a elogiar a rapariga. Aí penso "serei só eu que não consigo ouvir a miúda?".
Comentei com outras pesoas que vêm o canal e confirmaram que não viam o programa porque a apresentadora era demasiado má.
Num casting com 230 pessoas, não houve ninguém que conseguisse apresentar receitas sem falar como se estivesse a ser vista por crianças? Ou a selecção foi simplesmente mal feita?
A rapariga é artificial, forçada, tem uma série de trejeitos e afectações estranhas e não melhorou nada com o passar do tempo. Aquele estilo rockabilly é demasiado forte para ser repetido até ao exaustão. Enjoa!
Não há espontaneidade, nada ali é natural, é só... irritante.
Eu até podia dizer que as receitas salvavam o programa... mas não sei... a Filipa impede-me de ver as receitas!

sábado, abril 05, 2014

Se a Carrie Bradshaw vestisse na Bershka e calçasse na Seaside, era assim... sei lá!

Eu não li o livro da Margarida Rebelo Pinto, "Sei lá". Trata-se duma questão de higiene mental. Não sei qual é a história mas desconfio que é o Sexo e a Cidade em reles.





















Pelo cartaz de promoção do filme, a roupa é da Bershka que não há orçamento para alta costura! E entre as protagonistas há apresentadoras, cantoras e ex-modelos em vez de actrizes.
Podia ser uma mau original... mas é pior... é assim, sei lá, como se alguém rescrevesse os Maias e em vez do "Ramalhete", existisse um apartamento na Damaia.